Desfile Chanel

Por Vantuir Bergamô


“Todos os dias é um vai-e-vem. A vida se repete na estação.” É com este trecho de Maria Rita que dou início a nova fase Virginie para a Chanel. Já têm um tempo que me perguntava quem seria a tal sucessora de Karl, o Kaiser da moda. Mas, ele sempre foi uma caixa de surpresa! E, lógico, todos estavam com medo de sua sucessora não dar conta do recado, mas, devemos lembrar que, ninguém imaginava que Mademoiselle Chanel um dia também teria seu legado formado, mas, a label deveria seguir. E seguiu! Chanel se transformou em Karl, então, a sua morte foi um muito pesada para o mercado fashion. Muitas críticas, e poucas esperanças, aliás, Virginie não estaria migrando de nenhuma outra label bilionária nem desejada. Mas, ela estava sendo “criada” por ninguém menos e ninguém mais que, Karl. Sua primeira apresentação foi sem dúvidas simbólica, afinal, o desfile ocorreu em uma plataforma de trem, simbolizando a partida de Karl e a sua chegada. Gostem ou não, a Chanel mudou de cara. Ela veio mais para o mundo real, digo, street! Virginie deu um novo ar ao tweed, saindo da mesmice de Karl. Ela soube olhar muito para a mulher do século XXl, que, nada mais, nada menos, quer CONFORTO. Pois, o que mais chamou atenção no seu desfile foram as leggins, lógico, bem repaginadas! O seu maior ponto foi uma boa e incrível leitura sobre a alfaiataria, incluindo a bermuda ciclista, que, outras marcas já estão um pouco adiantados na trend. Resumindo: a mulher deu conta do recado. A nova era Chanel chegou, e, particularmente, eu estava louco para ver a marca mais street, afinal, Coco dizia que a moda vem da rua. Mulheres, todas atentas! A revolução ao conforto é a maior trend.

Aguardemos por mais coleções, ansiosamente.

Deixe uma resposta